Medidas de água-viva O que fazer se uma água-viva morde você?

Dicas para seguir se você sofrer uma picada de água-viva

Medidas de água-viva O que fazer se uma água-viva morde você?

Antes de começar um dia fantástico na praia com a família, devemos prestar especial atenção às informações das autoridades ou salva-vidas sobre o estado da praia, que podem alertar para a presença de medusas nas suas águas.

É possível encontrar bandeiras específicas para sinalizar a presença de águas-vivas, além da vermelha (proíbe o banho) ou amarela (banheiro desaconselhado, muita cautela).

Por que a picada de água-viva machuca?

  • Nos tentáculos das medusas estão os nematocistos, picadores microscópicos com uma substância tóxica que cumpre as funções de defesa e captura de presas.
  • Quando nós escovamos os tentáculos, aqueles stingers saem com toxinas que causam comichão, dor, queimação, inchaço, vermelhidão e possível sangramento leve em nossa pele. Na maioria dos casos, as lesões dermatológicas desaparecem em poucos dias, embora o desconforto possa durar mais tempo.
  • Essas toxinas permanecem encapsuladas nos tentáculos mesmo quando a água-viva morre, por isso devemos sempre evitar tocá-las.

A reação ocorrerá mais facilmente em áreas de pele mais fina e delicada (lábios, pálpebras) e principalmente em crianças pequenas.


O que fazer antes de uma picada de medusa?

 

  1. Saia da água o mais rápido possível

  2. Se houver traços de tentáculos em sua pele, remova-os cuidadosamente com uma pinça ou outro objeto rígido (por exemplo, cartão do tipo cartão). Não manipule diretamente com as mãos

  3. Limpe a área afetada com água salgada ou soro fisiológico. Nunca com água fresca ou esfregando porque pode favorecer a liberação de mais toxinas

  4. Não aplique amônia, vinagre ou urina

  5. Se os sintomas não forem aliviados, dirija-se ao posto de socorro ou a um posto de saúde próximo. Lembre-se que apenas profissionais de saúde podem lhe dar medicação

  6. Se você testemunhou, acompanha e monitora a pessoa que sofreu a picada. Certifique-se de que está bem e alerta se vir sinais de agravamento (vómitos, mal-estar, cãibras musculares, tonturas, perda de consciência)

  7. Idosos, alérgicos ou crianças pequenas podem exigir atenção especial.


Fontes:

https://www.veranoysaludandalucia.es/2019/proteccion-frente-a-las-picaduras/#5

https://www.miteco.gob.es/es/costas/campanas/campana-medusas/recomendaciones.aspx

https://www.murciasalud.es/preevid/19487

Banco de perguntas preliminares. Gestão da mordida pela caravela portuguesa. Murciasalud, 2018. Disponível em http://www.murciasalud.es/preevid/22399

Tipos de medusas no Mediterrâneo e no Atlântico

  • Tuberculata Cotylorhiza (aguacuajada, ovo frito de água-viva ou acalefo enrolado):
    • Comum em todo o Mediterrâneo em águas abertas e costa durante o verão e outono
    • Tentáculos curtos, guarda-chuva 20-35 cm
    • Baixo risco, morda com sintomas muito suaves.

Picadura de medusa Cotylorhiza tuberculata 

 

 

  • Pelagia noctiluca (água-viva luminescente):
    • Comum no Mediterrâneo e no Atlântico em águas abertas durante o verão. As correntes arrastam-nas para a costa
    • Tentáculos longos, 20 cm guarda-chuva
    • Alto perigoirritação freqüente e ardor.

Picadura de medusa Pelagia Noctiluca 

 

 

  • Rhizostoma pulmo (aguamala, aguaviva ou acalefo azul):
    • Abundante no Mediterrâneo e no Atlântico do final da primavera ao outono
    • Tentáculos robustos e curtos, guarda-chuva 90-100 cm
    • Risco médioirritação frequente
     

 Picadura de medusa Rhizostoma Pulmo

 

 

  • Chrysaora hysoscella (medusa bússola ou acalefo irradiado):
    • Comum no Mediterrâneo e no Atlântico em águas abertas durante o verão. As correntes arrastam-nas para a costa
    • Tentáculos longos e finos até 5 m, guarda-chuva de 30 cm
    • Alto perigo; irritação freqüente, queima e a aparência de verrugas que demoram a desaparecer.

 Picadura de medusa Chrysaora Hysoscella

 

 

  • Physalia physalis (fisalia, caravela portuguesa): A temida caveira portuguesa não é uma água-viva, embora a sua picada possa ser fatal em crianças.
    • Comum nas águas temperadas e superficiais do Atlântico, ocasionalmente no Mediterrâneo
    • Tentáculos finos e longos de até 20 m, guarda-chuva de 30 cm
    • Perigo muito alto; picada causa dor muito intensa e sérias conseqüências neurológicas e cardiológicas

 Picadura de medusa Calavera Portuguesa

 

 

  • Aequorea forskalea (aequorea de água-viva):
    • Comum na aparência atlântica e cada vez mais frequente no Mediterrâneo
    • Filamentos finos, guarda-chuva 30 cm
    • Perigo zero, não produz ferrão

Picadura de medusa Aequorea Forskalea

 

Fonte consultada:

https://www.miteco.gob.es/es/costas/campanas/campana-medusas/tipos_medusas.aspx

 

Para ter em mente como você deve agir em caso de sofrer uma picada de água-viva, criamos um infográfico muito visual para saber o que fazer se você estiver presente durante um episódio de picada de água-viva. Você pode nos ajudar a continuar criando mais pessoas? 

BAIXE AQUI NOSSO INFÓGRAFO SOBRE COMO AGIR EM CASO DE SOFRER Picada de Medusa


impressão   Correio eletrônico

Instalação de desfibriladores externos, manutenção, peças de reposição, reparos, treinamento e uso do desfibrilador, registro em Comunidades Autônomas.

endereço:
Avda.de la Constitución 29 
28821 Coslada (Madri)
telefone: + 34 911 250 500
E-mail: salvavidas@salvavidas.com

Mapa de onde estamos